terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

RELACIONAMENTO DE ADOLECENTES

"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu."
Eclesiastes 3.1

Você sabia que a adolescência tem sido considerada o período mais difícil e importante da vida? Isso porque você não é criança nem adulto, e todos parecem saber mais do que você o que precisa e o que deseja. E um tempo de definições sobre você mesmo; tempo de inde­pendência — ou pelo menos a busca disso.
Adolescência é um tempo de mudanças em que ocor­rem o amadurecimento do sistema reprodutivo — a puberdade —, além do crescimento físico acelerado e desproporcional. Soma-se a isso a capacidade de pen­sar abstratamente.
É um período de exageros, quando se ama e se odeia demais. Enfim, é um tempo de relacionamentos — com a família, com os amigos, com o mundo... Quero conversar com você sobre esses relacionamentos. E vamos começar por aqueles que mais mexem com o coração nessa fase.Mas... uma pergunta: Você sabe o que é puberdade?
Puber... O quê?
Amadurecer é um dos processos mais importantes da vida. E a adolescência é uma fase de transição em que as principais mudanças acontecem. Entra em cena A PUBERDADE! O que é isso? É o nome dado às mudanças físicas que resultam em maturidade reprodutiva.
Ela começa, geralmente, aos doze anos, ativada por uma parte do cérebro chamada hipotálamo. Não se assuste! Só estou citando essas palavras difíceis para fazer uma rápida explicação. No início desse pro­cesso, o hipotálamo, seguindo instruções de genes ultramicroscópicos, dá sinal para a glândula pituitária secretar hormônios...
Entram em cena, então, outras glândulas, como a tireóide, a supra-renal e as gônadas, que produzem mais hormônios... Em resu­mo, toda essa parafernália hormonal estimulará o crescimento do corpo e o desenvolvimento de características de adulto.
Com o início desse amadurecimento, você estará apto para a reprodução. As meninas atingem esse estágio de desenvolvimento um ou dois anos antes dos garotos. E essa maturidade é acompa­nhada dos impulsos sexuais, que moralmente não podem ser satis­feitos. Por quê? Calma...
A puberdade é marcada, para as moças, pelo início da menstruação, que em geral é irregular por uns dois anos. Os seios crescem, surgem pêlos no corpo, e os quadris se alargam.
No caso dos meninos, há outros sinais: instabilidade ou falha da voz — em razão do aumento das cordas vocais — crescimento de pêlos pubianos, início da ejaculação, bem como aumento dos testí­culos e alongamento do pênis. Este também pode ficar ereto nos momentos mais inoportunos, gerando constrangimentos.Sem amadurecimento pleno não é possível assumir um relacio­namento sério, como o namoro. E relacionar-se com alguém sem compromisso, apenas para satisfação dos instintos, é uma atitude perigosa, que trará conseqüências desagradáveis.
LIVRO: Coisas que Rapazes e Moças Precisam Saber
Adolescentes S/A
Ciro Sanches Zibordi
Editora CPAD

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Como começar um departamento infantil?

O óbvio a gente nem precisa dizer, né? Ore, converse com Deus, ele tem todas as ferramentas que você precisa em mãos. Ele tem o poder de tocar os corações e abrir as portas para um novo trabalho.
No mais você vai precisar do seguinte (não necessariamente nesta ordem):
Experiência da sua Igreja
A maioria das denominações já tem algum tipo de trabalho com crianças - escola dominical ou culto infantil. Entre em contato com comunidades da mesma denominação que a sua, ou similar, e veja como eles trabalham, que material usam, etc..Visite igrejas na sua cidade e peça para assistir ou participar como ouvinte de uma classe de crianças. Também pode ser interessante visitar uma escola pública ou particular, para ver como os professores se relacionam com as crianças.
Pessoas e apoio Converse com o pastor da sua comunidade.
Convide pessoas para te ajudar - Professores, pedagogos e recreadores têm uma boa visão de como e o que as crianças hoje tem na escola e do que precisariam em termos de educação.Contate pais, mães, avós, etc.. afinal são eles que vão trazer as crianças e são eles que podem te dizer as dificuldades que sentem em casa, no dia a dia.Catequistas, professores de educação religiosa e o pastor vão te ajudar com questões de fé e teologia.Pessoas com dons para música, trabalhos manuais, contação de histórias são também uma ajuda imprescindível.Veja quais destas pessoas estão dispostas a trabalhar diretamente com as crianças e estabeleça um rodízio. As demais podem vir uma vez ou outra a reuniões e participar com seus dons também.Recomendo que haja sempre no mínimo dois adultos com qualquer grupo de crianças.
Currículo
Defina o programa que você vai seguir com as crianças. Muitas editoras cristãs tem currículos prontos (consulte por exemplo as editodas Sinodal, Concórdia, Juerp, Casa Publicadora da Assembléia de Deus, Betânia, Luz e Vida, etc..).Você também pode criar e definir suas próprias "lições" e currículo - seguindo a ordem dos livros da Bíblia, por exemplo.Se você nao tem recursos ($) para comprar os livros para os professores, veja com outras igrejas próximas ou as próprias editoras se podem doar/emprestar livros de anos anteriores, encalhados ou com defeito.
Espaço e Material
Uma sala exclusiva para as crianças é o ideal. Numa sala você pode enfeitar as paredes, pendurar os trabalhos e desenhos das crianças, arranjar móveis cadeiras e mesas na altura adequada para as crianças ou um carpete barato e almofadas como uma alternativa simples e descontraída.Locais abertos, como jardim ou salão de festas podem ser usados ocasionalmente, mas você deve considerar que as crianças tendem a dispersar e não prestar atenção.Você também vai precisar de material para as crianças usarem - lápis de escrever e de cor, papel, cola, tesoura são essenciais. Faça uma campanha de doação com a comunidade para materiais novos ou usados.Sucata é fácil de pedir a comunidade que junte e é ótimo material de trabalho. Você pode fazer quase tudo com sucata: desde estantes para guardar material com caixas de papelão ou restos de madeira; fantoches, bonecos, cenários para contar histórias; atividades para reforçar o conteúdo da história, deixando o material à disposição das crianças.
HorárioEm que momento será feito o trabalho com as crianças? Durante o culto dos adultos? Durante a ED dos adultos? Num dia de semana? Sabado à tarde? Em todos os dias que tiver atividade na igreja?Quanto tempo esta atividade irá durar? As crianças tem um tempo de concentração pequeno, que varia de acordo com a idade. É preciso variar as atividades e preencher todo o tempo em que você irá ficar com eles: músicas, brincadeiras, contar uma história, desenhar, recortar, etc..
Crianças, ajudantes e classes
Você precisa saber quantas crianças tem na sua comunidade: faça um levantamento de nomes, enderecos e telefones das famílias com crianças da comunidade.Uma vez que você saiba quantas crianças que a comunidade tem, você também vai precisar definir se todas as crianças vão ficar juntas, ou se vão ser separadas por faixa de idade / grupo escolar, etc... (aqui na minha comunidade, por exemplo, nós trabalhamos com 2 grupos: crianças da pré-escola e crianças alfabetizadas - isso dá mais ou menos os seguintes grupos de idade: 3 a 7 anos e 8 a 11 anos) - depois dos 11 anos as crianças passam para outros grupos e antes dos 3 anos em geral elas ficam com os pais na igreja (nós não temos creche/berçario para os bem pequenos).Defina o que funciona melhor. Tudo depende do número de crianças e de ajudantes disponíveis. Converse com professores experientes para determinar o número de crianças que cada adulto consegue atender em sala de aula.Tambem é bom ter sempre um ajudante - uma pessoa que possa levar os pequenos ao banheiro, distribuir material, controlar a bagunça, etc.. - para que o professor tenha as "mãos" livres para contar a história e direcionar o trabalho. É importante que as crianças - principalmente as pequenas - nunca fiquem sozinhas na sala, por questões de segurança.
Primeiro dia com as crianças
Marque o dia para começar e convide as crianças - pode ser por carta, telefonema, visita à casa da família ou num papo rápido após o culto na igreja mesmo.No primeiro dia, eu diria para você preparar uma atividade especial, envolvendo os pais também e todas as pessoas que se dispuseram a ajudar. Assim tanto as crianças como seus responsaveis podem conhecer o grupo que irá trabalhar com elas, o local onde elas ficarão, o tipo de trabalho que será feito, etc..Você também pode pedir que o pastor apresente o grupo num domingo, no culto, chamando todos os voluntários do Departamento Infantil à frente, e explicando a congregação que tipo de trabalho se pretende realizar, quando, como, onde.
Reciclagem
Depois do trabalho iniciado é bom que os voluntários se reúnam de tempos em tempos, para conversar, trocar idéias, preparar festas, ouvir sugestões. Prepare também reuniões de treinamento ou com temas específicos: estudos bíblicos com um pastor ou palestrante, oficina de fantoches ou de teatro com algum grupo que trabalhe com bonecos, cursos e seminários da igreja destinados ao trabalho com crianças, etc.. Tudo para dar aos voluntários ferramentas diferentes e motivação.
No mais, leia, se informe, fique atento à matérias sobre comportamento infantil, cursos gratuitos e palestras de artesanato, educação, religião, etc.. Não só da igreja, cursos leigos também são ótimas formas de aprender; depois é só adaptar as ferramentas ao ensino cristão, afinal nós e nossas crianças vivemos e convivemos com o mundo!