sábado, 20 de dezembro de 2008

ÁRVORE DE FREQUÊNCIA

OBJETIVO:Incentivar a freqüência das crianças à Escola Dominical,
MATERIAL:
• Cartolina Dupla-face marron – para o desenho do tronco de uma árvore, com muitos galhos, longos e finos;
• Cartolina Dupla-face verde – cortar folhas tantas quantas se fizerem necessárias para o trimestre
• Cartolina Dupla-face parda (laranja, ocre ou beje): cortar folhas tantas quantas se fizerem necessárias para o trimestre;
MÉTODO:
• A cada domingo o professor colocará na árvore:o uma folha verde (com o nome da criança e o n° da lição correspondente) para os alunos que estiverem presentes na Escola Dominical;o uma folha laranja (com o nome da criança e o n° da lição correspondente) para os alunos que faltaram à Escola Dominical;
• À medida em que transcorre o trimestre, a “árvore da frequência” servirá de “termômetro” para se avaliar como está o andamento daquela sala: se a árvore estiver mais “verdinha” é que está indo bem, e se tiver com muitas folhas pardas, é como se a sala estivesse “morrendo”... Deve-se incentivar os alunos a manter aquela árvore viva....!
• Ao final do trimestre, serão retiradas todas as folhas da árvore, e serão feitas “árvores” individuais para cada aluno; Já que todas as folhas tem nome, e n°, será fácil identificá-las. Assim, cada aluno receberá uma folha com um tronco desenhado (pintado ou colado), e nele colará suas folhas (cada aluno deverá receber 13 folhas, de acordo com sua freqüência), e assim poderá analisar, como foi sua participação durante o trimestre.
• O interessante é que o aluno que teve muitas faltas, vai tentar, no próximo trimestre, ter uma árvore mais verdinha...
DICAS:
• Para saber o tamanho ideal para as folhas, faça um “c” com sua mão, utilizando os dedos polegar e indicador. Não precisa ser um “C” ‘gordinho’ demais...
• Coloque sempre o primeiro nome de cada criança (escrita com canetinha hidrocor), e coloque só o n° da lição, dentro de um círculo abaixo ou acima do nome;
• Quando for colar na árvore, utilize uma gotinha de cola ou um ‘rolinho’ feito de durex, para facilitar na hora de retirar ao fim do trimestre;
• De preferência, delimite o local da árvore, colando o tronco numa folha grande de papel cenário (tem folhas de 1 metro de comprimento);
• Cole as folhas aleatoriamente na árvore, para não parecer “artificial”... Você vai ver como vai ficar linda aquela árvore frondosa!! Ah! Não se importe de ficar algumas folhas tapando outras... é normal. O importante não é ver, por enquanto o nome dos alunos, e, sim, se a árvore está “indo bem ou não”;
"De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada (...); se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino.” Rm. 12:6a e 7

Presépio







quarta-feira, 19 de novembro de 2008

ORNAMENTAÇÃO DA SALA DE AULA

Antes de falarmos em "DECORAÇÃO" da sala de aula devemos preparar os materiais que vão compor o ambiente alfabetizador.
O alfabeto é um material que a turma terá que encontrar no primeiro dia de aula. As outras serão acrescentadas de acordo com as propostas apresentadas pela turma.
1- CARTAZ COM O ALFABETO A professora irá apresenta-lo à classe como sendo o instrumento primordial para a alfabetização, mas as atividades serão dadas com a letra de imprensa. Somente a partir do interesse do aluno que irá fazer a transposição para a letra cursiva.
2 – CARTAZ COM OS NOMES DOS ALUNOS (QUE SERÁ MAIS MOTIVADOR SE CONFECCIONADO À FRENTE DOS ALUNOS).
3 – CARTAZ COM OS ALGARISMOS E A SUA GRAFIA
1= UM 2= DOIS 3= TRÊS .....etc
A professora explicará que com esses algarismos significativos aprende-se escrever qualquer numeral. Como por exemplo: Ano de nascimento de um dos seus alunos: 1984
4 – NOME DO MOBILIÁRIO: porta, janela, quadro, giz, etc... Escrever e etiquetar à frente dos alunos.
5 – Cartaz com o ajudante do dia.
6 – Caixa de livros de literatura infantil, da Sala de Leitura ou doado pelos alunos, etiquetada como BIBLIOTECA AMBULANTE.
7 – Caixa de revistas e jornais usados para o uso diário pelos alunos, em todas as atividades.
8 – Ambiente "rico" para aprender Matemática.
"É importante que as crianças tenham chances de "trocar suas experiências", "discutir" suas descobertas, "interagir".
Portanto devemos ter na sala de aula.
Material concreto: tampinhas, sementes, canudinhos, copinhos de plástico...
Materiais estruturais: blocos lógicos, cuisenaire, baralho, bingo, domino, dados...

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Versiculos Ilustrados

Material: Cartolina branca e amarela
Transfere o modelo para a cartolina e recorte monte a ovelinha.
Boa Aula

Corinhos Ilustrados

Este corinho esta no Cd da Cristina Mel 4 Kids







Versiculos ilustrados











Nunca vá para sala de aula, para qualquer faixa etária sem um versiculo ilustrado. Isso ajudará o aluno na memorização.








Esse selinho recebi da amiga Juliana

Gente fiquei muito feliz em ser premiada por esse selinho amei gente!

Tenho retribuir a 5 colegas, isso vai ser dificil pois tem muitos colegas especiais, mas tenho que escolher ai,ai, ai,

Narynha: http://meninaaosolhosdedeus.blogspot.com/
Karla: http://www.minutinhocomdeus.blogspot.com.br/
Carla: http://criancasparadeus.blogspot.com/
Tia Lay: http://criancaevang.blogspot.com/
Tia Regina: http://ensinandoaospequeninos.blogspot.com/

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Rolo de Pergaminho


Gincana evangelística

Gincana

Rapidez e destreza são fatores essenciais no cumprimento de tarefas

Na qual se leva em conta não apenas a rapidez com que os concorrentes executam as tarefas predeterminadas, mas também a habilidade com que o fazem.
Pode ser utilizada por grupos de adolescentes e jovens: no encerramen­to do trimestre da ED, em encontros ju­venis, como atividade extraclasse.
O modelo abaixo e uma dentre as muitas sugestões que você pode apli­car em seu departamento.

1) Dirigentes
Ø Coordenador – fará a leitura das instruções e coordenara a atividade, anunci­ando cada tarefa a ser desempenhada.
Ø Mesa julgadora - determinara se os pontos foram ou não válidos.
Ø Auxiliar – fará a computação dos pontos, anotando-os num quadro, de modo que todos vejam.
Ø Equipes - escolhe-se um líder. As equipes serão conhecidas por letras, nú­meros, cores ou nomes.

2) Regulamento

Ø Escolher um capitão para cada equipe.
Ø Escolher cinco juízes.
Ø Cada equipe deve escolher seu grito de guerra
Ø As equipes devem estar uniformi­zadas com camisetas, bonés, botons etc.
Ø Os capitães devem escolher os nomes de suas respectivas equipes.

3) Instruções

Ø Cada equipe escolhera seu líder.
Ø As equipes trabalharão em conjunto ­na realização de cada tarefa.
Ø Só o líder poderá entregar as tarefas.
Ø Só serão válidas as tarefas entregues pelo líder.
Ø A equipe perdera ponto se algum membro, que não seja o líder, se deslocar de seu lugar.
Ø A mesa julgadora devera analisar o material solicitado e julgar se os pontos serão ou não válidos.
Ø Havendo empate na soma total dos pontos, o coordenador solicitara mais tarefas para o desempate.

4) Inscrição

Ø Os interessados deverão formar equipes de dez pessoas. Não serão acei­tas equipes com numero maior ou me­nor de participantes.
Ø As equipes serão identificadas por cores.
Ø No ato da inscrição, o líder da equipe recebera os materiais utilizados (regimento da gincana e do debate, mo­delo do trabalho escolhido pela equipe e recibo da inscrição) e efetuara o pa­gamento de xis reais, valor dividido entre os membros da equipe.
Ø O líder respondera pela equipe.

5) Procedimento

Convites
Serão distribuídos entre as equipes convites para a exposição.
Cada convite vendido somara pon­to para a equipe.

Material
Haverá um horário para o recebi mento do material.
A mesa julgadora se fará presente no ate da entrega do material.
Não será aceito material antes ou depois da hora preestabelecida.

Início
Será efetuado um sorteio para esco­lher as equipes que iniciarão o debate.
A equipe indicada fará a pergunta seguinte, sendo sorteada apenas a equi­pe que respondera.
Cada resposta correta terá o valor de dez pontos.
A equipe interrogada terá no máxi­mo um minuto para responder a per­gunta.
Qualquer membro da equipe pode­rá responder.
Os pontos relativos à pergunta não respondida ou respondida erradamen­te passarão para a equipe oposta.
Depois que a mesa se pronunciar não haver a mais comentários, partin­do-se para a próxima tarefa.

Julgamento

Haverá uma mesa julgadora forma­da por sete pessoas e liderada por um presidente.

6) A competição

A) Procedimentos incorretos duran­te o evento:
Ø Não e permitido expressar-se com vaias;
Ø Não e permitido fazer caretas para outras equipes;
Ø Não é permitido sair do lugar para afrontar;
Ø Equipe desorganizada perde pontos;
Ø Só poderão participar das tare­fas as pessoas escolhidas;
Ø Fica proibido o uso de palavrões
Ø Se houver tarefas de perguntas e respostas, a Bíblia ou livros não poderão ­consultados.

B) Procedimentos permitidos durante o evento.
Ø Aplausos;
Ø Exclamar o grito de guerra sempre que quiser;
Ø Mostrar cartazes e faixas.

7) Condução da gincana
Oração;
Leitura da Palavra de Deus (concernente ao tema da gincana);
Os capitães terão dois minutos para escolher um cântico bem animado;
Juramento das equipes e dos juízes;
Chamar os capitães para responder uma pergunta. O capitão que responder primeiro será o que iniciará as tarefas.
Cada tarefa realizada será pontuada, pelos juízes em uma ficha de avaliação.
Ao termino da gincana a equipe, vencedora será premiada.
Encerram-se as atividades da gincana com oração.

8) Tarefas

A) Sabemos que a o pão é bastante comparado com esse alimento. A equi­pe apresentara como tarefa obrigatória o maior e mais original pão (variação: modelos de Bíblia, pomba, árvore, es­piga de trigo...) (0 a l0 pontos)

B) Organização de um questionário sobre o assunto do trimestre de acordo com as revistas (três pontos cada figura)

C) Apresentar a revista mais antiga da ED (0 a 5 pontos)

D) Trazer um número mínimo de dez alunos que aceitaram Jesus na ED (5 pontos cada)

E) Levar um superintendente e um secretario com maior número de anos servindo na ED (5 pontos cada)

F) Um missionário que teve sua cha­mada na ED - relatar o fato (5 pontos cada)

G) Apresentar o aluno mais antigo na ED (5 pontos cada)

H) Encontrar uma família com mai­or número de alunos matriculados na ED (que sejam assíduos) (3 pontos cada).

9) Material para o departamento infantil e para a oficina

Lápis de cor, lápis de cera, pin­ceis atômicos, canetas hidrocor, colas coloridas (0 a 10 pontos)
Folhas de papel oficio silhueta, craft, crepom, seda, cartolina, papel 40k e papel cartão (0 a 10)
Lápis, caneta, borracha, aponta­dor, colchetes (bailarinas), clipes de vários tamanhos e grampos, massa de modelar (0 a 5)
Envelopes de tamanhos variados incluindo carta e papel pardo (0 a 5) Tintas: guache, tinta plástica, nanquim de varias cores, redutor, ver­niz (0 a 10)
Pinceis de todos os tamanhos Oferta (0 a 10)

Obs. Só recebera o numero máximo de pontos, o grupo que levar o maior número de elementos, e a maior oferta.

10) Compor um hino para a ED e o grito de guerra mais original (0 a 5 pontos)

11) Tarefa extra: caso haja empate, haver a um quadro fixado com pergun­tas sobre a vida de Paulo para desem­patar (0 a 10 pontos)

Atenção: A equipe terá uma cartela para contagem dos pontos. Se uma equipe responder a pergunta errada, perde ponto que será contado para a outra equipe.

O pastor e a ovelha

O O encontro que produz alegria

A ovelha perdida retorna aos braços do pastor

Crianças, pré-adolescentes, jovens e adultos, todos gostam de louvar ao Senhor!
Crianças mais ainda se os cânticos forem ilustrados. Já pensou em fazer isto numa dramatização?Veja a sugestão abaixo.
Vários são os momentos ideais para essa programação: no apelo para conversão, no culto para afastados, na Páscoa, ou mesmo num encerramento de lição para fixação do assunto estudado.

Confecção dos visuais
Reproduza no tamanho desejado (de preferência ao tamanho dos alunos). Use fotocópia colorida ou, se quiser economizar, reproduza em preto e branco e pinte. Para reforçar as figuras cole-as em papelão. A figura do pastor poderá ser ampliada no tamanho de uma criança. Em seguida coloque um suporte para que ela possa ser deslocada a medida que 0 pastor vai buscar a ovelha perdida. As ovelhas devem ser coladas de forma que a estrofe fique de um lado e o refrão do outro. Cole uma haste entre uma e outra para manuseá-las melhor. As mascaras de ovelhinhas deverão ser colocadas nas demais crianças do grupo. Atrás do grupo duas crianças seguram um cartaz ilustrando João 10.11.

Hino 156 da Harpa Crista
Ministre oralmente a mensagem estrofe por estrofe. Explique os vocábulos mais difíceis tais como: redil, vil, chagas, ...com amor pensou,restaurou-me etc.
Após a explanação do hino, faça perguntas e incentive-os a explicarem o que entenderam. Somente com a compreensão total da mensagem da letra, todos poderão cantá-lo e encená-lo com sentimento e força espiritual.
Ensaie a hino com acompanhamento e de músicos. Lembre-sede pedir para tocarem baixo para que as vozes sobressaiam.
Depois desses dois itens cumpridos passe ao ensaio:
Disponha todos como num coral. Na extremidade esquerda, um dos cantores, na terceira fila, representará o pastor (figura já ampliada e montada). Do lado esquerdo também, as três ovelhinhas felizes. Estas estarão erguidas acima dos ombros dos componentes.
No decorrer do hino, somente no momento do refrão, as três deverão ser viradas com esse escrito para a igreja.
A quarta ovelhinha, espantada e sentada, devera estar longe do pastor no início do hino. Ficara isolada e segura pela haste na extremidade oposta ao pastor, ao lado direito do coral.
Durante a primeira estrofe, que será entoada em andamento lento por um solista, somente a figura do pastor devera caminhar entre o coral, da esquerda para a direita indo ao encontro da ovelha sentada na outra extremidade. A ovelhinha será erguida de modo a parecer que a pastor a segura, apresentando a lado do refrão: E assim, retoma para a local onde as outras três estão com o lado do refrão apresentado. Na extremidade esquerda, todas as demais três estrofes deverão ser cantadas, com a ovelhinha que foi buscada, sempre nas mãos do pastor.
Durante o hino, as figuras deverão ter um movimento alternado de sobe e desce discreto, de acordo com a estrofe que esta sendo cantada para dar mais vida à encenação. O refrão somente devera ser virado para a igreja no exato momenta em que estiver sendo cantado.
Rosélia Mendonça e presidente da Seara miúda
(Eventos evangelísticos para crianças)


quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Palhacinho Pipoca



Material:


  • E.v.a nas cores azul, verde, cor de pele, amarelo, vermelho e branco;

  • Papel crepom azul, para o laço;

  • Um saquinho de pipoca doce ou de sal;

  • Cola com glitter para e.v.a;

  • Cola para e.v.a;

  • Tesoura;

  • Cartolina branca.

Preparo:


Passe o molde para a cartolina branca, depois passe para o e.v.a e recorte

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Caminhada com os Pais


Propor uma atividade com as crianças com o objetivo de fortalecer relacionamento interpessoal
entre pais e filhos/as, a atividade física e a preservação do meio ambiente.
Em uma caminhada programada para pais e filhos/as desenvolver as seguintes atividades:


1ª Parada: Corrida de saco.
2ª Parada: Futebol em duplas (pai ou responsável e filha/o de mãos dadas jogam juntos/as. No caso de soltarem as mãos a dupla será desclassificada).
3ª Parada: Os pais ou responsáveis se reúnem em grupo e cantam músicas de sua infância.
4ª Parada: Cada pai ou responsável tem a tarefa de recitar um versículo bíblico. Aos pais que não fazem parte da Igreja solicitar que recitem um poe ma...
5ª Parada: Os pais ou responsáveis devem desenvolver a tarefa de desenhar em um cartaz maneiras de preservar omeio ambiente. Estas tarefas podem ser executadas pelas Igrejas como uma forma de contribuir para a preservação do meio ambiente.


• Ao final da caminhada os pais ou responsáveis ganham uma medalha de participação.
• As medalhas podem ser produzidas pelas crian ças.
• As mães e professoras/es podem organizar os materiais de cada parada.
As sugestões durante a caminhada podem ser adequadas à realidade dos grupos participantes.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

FANTOCHE DA BORBOLETA ZAZÁ



HISTORINHA DA BORBOLETA ZAZÁ

A História da Lagarta Zazá

(autor: desconhecido)
Um dia, Deus criou todas as coisas. Ele criou as plantas, as aves, os peixes e também a lagarta.
A nossa história fala de uma lagarta. Vamos imaginar que as plantas, as aves, os peixes e a lagarta conversam entre si.
Esta é a lagarta Zazá. Ela mora num lindo pomar. Um dia, ela saiu para passear e conhecer melhor o lugar onde morava. Ela foi se arrastando e logo viu uma flor tão bonita e resolveu subir em suas pétalas.
Zazá : - Quem é você?
Rosa: - Ai! Ai! Você está me machucando! Eu sou a rainha das flores!
Zazá : - Desculpe-me... já vou descer. É que eu queria ver você de perto. Você é tão bonita... tem um perfume tão delicioso...
Rosa: - Eu sou muito feliz ! Deus me fez assim! Eu posso alegrar as pessoas com a minha beleza e o meu perfume delicioso!
Zazá : - Pois eu sou triste! Queria tanto ser uma rosa igual a você. Mas... Deus me fez assim: uma lagarta verde, gosmenta e horrorosa!
A lagarta Zazá continuou o seu passeio e logo viu uma margarida branquinha. E havia uma abelhinha zumbindo em volta dela. Zazá subiu nas pétalas da margarida e começou a conversar com abelhinha que se chamava Zuzu.

Zazá: - Olá abelhinha Zuzu. Você está sempre voando de flor em flor. Eu gostaria tanto de ser como você e voar de um lado para o outro!
Zuzu: - Eu não fico passeando por ai! Eu trabalho bastante! Eu apanho o néctar das flores para fazer um mel bem gostoso. Deus me fez assim e eu sou feliz assim, porque posso ser útil.
Zazá : - Pois eu sou triste! Queria tanto ser uma abelha e voar igual a você. Mas... Deus me fez assim: uma lagarta verde, gosmenta e horrorosa!
Logo, Zazá ouviu o cântico de um passarinho. Era um belo canário de penas amarelas, laranja e azul e ele se chamava Zezé.

Zazá: - Bom dia canarinho Zezé. Que música linda!!! Você tem cores lindas!!!
Zezé: - Deus me fez assim... e sou feliz desse jeito. Vivo a cantar e voar. E você é feliz?
Zazá : - Pois eu sou triste, muito triste! Eu não posso voar e vivo me rastejando. Minha cor é muito feia, é terrível ser uma lagarta verde, gosmenta e horrorosa!
E assim Zazá foi rastejando e chegou perto de uma plantação de morangos bem vermelhinhos e madurinhos.
Zazá: - Que morangos lindos!!! Hummmmm... Devem estar deliciosos!!!
Morangos: - Olá Zazá... você está com uma carinha tão triste... o que houve???
Zazá nem respondeu. Estava tão triste e infeliz que saiu dali. Ela queria ter uma cor vermelha bonita como o morango. Continuou o seu passeio e chegou perto de um lago e viu Zizi, o peixinho, nadando tranqüilamente.

Zazá: - Oi peixinho Zizi! Você é feliz???
Zizi: - É claro que sou feliz! Deus me fez assim. E você? Não é feliz?
Zazá: - Não eu não sou feliz...
Zazá ia continuar a sua reclamação quando avistou um pintinho que gosta de comer lagartas. Zazá arrastou-se rapidamente até o alto de uma planta, que tinha folhas bem verdinhas.
Zazá: - Essa andança me abriu o apetite e parecem tão deliciosas!!!
Folhas: - Pois é... Deus me fez assim... para que servisse de alimento. Sirva-se Zazá!
Assim Zazá encheu sua barriguinha, mas começou a chover uma chuva bem fria e ela estava ficando toda molhada. Zazá ajeitou-se numa folha e teceu um casulo ao seu redor. Tão escuro e quentinho, que Zazá dormiu e dormiu bastante.
Por fim Zazá acordou e percebeu que o dia estava muito lindo. Zazá se esticou todinha e viu o seu reflexo na poça de água e pensou:
Zazá: - O que aconteceu???
Zazá percebeu que agora não era mais aquele bicho rastejante, mas sim uma linda borboleta colorida, com as cores da rosa, da margarida, do canário e até da folha que comeu.
É... algumas pessoas são como a lagarta Zazá que não são felizes e nem reparam para as coisas boas que Deus fez. Deus criou tudo perfeito.
Um dia, a lagarta teve uma transformação começou uma nova vida. Se você se sente como uma lagarta, lembre-se Deus pode te transformar em uma linda borboleta. Não fique mais se rastejando por ai, mas tenha uma nova vida nas alturas, com Jesus Cristo.
Fim

FESTA DO AMBIENTE

Ideias para a tua festa:
Como sabes, é muito importante preservar o meio em que vivemos e, para que isso seja possível, é fundamental que todos colaborem.Se te consideras um verdadeiro defensor do meio ambiente e tens vontade de motivar os teus amigos para esta causa, temos a sugestão ideal para ti! Preparar a festa Para realizar a actividade que te propomos, precisas de:

convites ;

  • um espaço grande exterior ou interior;
  • cinco caixotes de papelão ou de madeira;
  • duas folhas de papel colorido (uma azul e uma amarela);
  • marcadores;
  • lenços brancos (um para cada convidado);
  • tintas para tecidos;
  • embalagens variadas em número igual (jornais/revistas, garrafas de plástico e latas).

    Nesta festa, vais propor aos teus amigos um jogo de equipas que os vai motivar para a reciclagem de embalagens, uma acção essencial para a preservação do meio ambiente!Antes de receberes os teus amigos, há algumas tarefas que terás de realizar:
    Pede aos teus pais que guardem diferentes materiais utilizados que eles pretendam deitar fora: jornais e revistas; embalagens de plástico; latas.
    Coloca o mesmo número de materiais misturados em três caixotes (por ex., 3 jornais, 4 latas, 5 garrafas de plástico).
    Cola em cada um desses caixotes um dos seguintes elementos (que servirão de emblema às equipas): uma árvore, uma gota de água, um arco-íris (poderás inventar mais símbolos de acordo com o número de convidados).
    De acordo com o número de convidados, pinta em cada um dos lenços brancos os mesmos elementos (uma árvore, uma gota de água, um arco-íris).
    Desenha nas folhas de papel colorido os seguintes objectos: na azul uma um jornal, na amarela um saco e uma lata.
    Cola cada uma das folhas nos caixotes que sobram.
    No espaço que escolheres para realizar a actividade, coloca, de um lado, os caixotes com os materiais para cada uma das equipas e, do lado oposto, os caixotes específicos para cada tipo de material.

    Quando todos estiverem presentes, explica o objectivo do jogo: um a um, cada convidado deverá tirar à sorte um dos lenços para se formarem as equipas.Depois, os membros das equipas colocarão os lenços ao pescoço e dirigir-se-ão para a frente do respectivo caixote.Um a um, cada membro deverá pegar num dos objectos do seu caixote e colocá-lo no contentor correcto o mais rapidamente possível: no caixote amarelo, colocarão o plástico e o metal e no azul o papel. (Apesar de na realidade existir também um contentor verde para o vidro, neste jogo não se utilizarão objectos desse tipo para não correr riscos.)Quando regressar ao local onde se encontra o caixote da sua equipa, outro membro fará o mesmo e assim sucessivamente até terem orientado a reciclagem de todos os materiais. Ganha a equipa que colocar no local certo todos os materiais em menos tempo.Depois de concretizada a vossa tarefa, deliciem-se com um saboroso lanche.No final, cada um dos convidados levará o lenço com o símbolo da sua equipa como recordação. E tu poderás ajudar os teus pais a depositar nos verdadeiros contentores todas as embalagens seleccionadas por ti e pelos teus amigos. Assim, contribuirás efectivamente para a preservação do meio ambiente!

ÁRVORE DA FREQÜÊNCIA

OBJETIVO:
Incentivar a freqüência das crianças à Escola Dominical,

MATERIAL:
Cartolina Dupla-face marron – para o desenho do tronco de uma árvore, com muitos galhos, longos e finos;
Cartolina Dupla-face verde – cortar folhas tantas quantas se fizerem necessárias para o trimestre
Cartolina Dupla-face parda (laranja, ocre ou beje): cortar folhas tantas quantas se fizerem necessárias para o trimestre;

MÉTODO:
A cada domingo o professor colocará na árvore:
uma folha verde (com o nome da criança e o n° da lição correspondente) para os alunos que estiverem presentes na Escola Dominical;
uma folha laranja (com o nome da criança e o n° da lição correspondente) para os alunos que faltaram à Escola Dominical;
À medida em que transcorre o trimestre, a “árvore da frequência” servirá de “termômetro” para se avaliar como está o andamento daquela sala: se a árvore estiver mais “verdinha” é que está indo bem, e se tiver com muitas folhas pardas, é como se a sala estivesse “morrendo”... Deve-se incentivar os alunos a manter aquela árvore viva....!
Ao final do trimestre, serão retiradas todas as folhas da árvore, e serão feitas “árvores” individuais para cada aluno; Já que todas as folhas tem nome, e n°, será fácil identificá-las. Assim, cada aluno receberá uma folha com um tronco desenhado (pintado ou colado), e nele colará suas folhas (cada aluno deverá receber 13 folhas, de acordo com sua freqüência), e assim poderá analisar, como foi sua participação durante o trimestre.
O interessante é que o aluno que teve muitas faltas, vai tentar, no próximo trimestre, ter uma árvore mais verdinha...

DICAS:
Para saber o tamanho ideal para as folhas, faça um “c” com sua mão, utilizando os dedos polegar e indicador. Não precisa ser um “C” ‘gordinho’ demais...
Coloque sempre o primeiro nome de cada criança (escrita com canetinha hidrocor), e coloque só o n° da lição, dentro de um círculo abaixo ou acima do nome;
Quando for colar na árvore, utilize uma gotinha de cola ou um ‘rolinho’ feito de durex, para facilitar na hora de retirar ao fim do trimestre;
De preferência, delimite o local da árvore, colando o tronco numa folha grande de papel cenário (tem folhas de 1 metro de comprimento);
Cole as folhas aleatoriamente na árvore, para não parecer “artificial”... Você vai ver como vai ficar linda aquela árvore frondosa!! Ah! Não se importe de ficar algumas folhas tapando outras... é normal. O importante não é ver, por enquanto o nome dos alunos, e, sim, se a árvore está “indo bem ou não”;

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Base para lanterninha:


Base para lanterninha:

1- Para que uma lanterna pequena seja usada como enfeite de mesa, deve ter uma base que a mantenha em pé.
2- Para fazer a base, corte um retângulo de papel, do mesmo tamanho do usado para fazer a lanterna. Siga as instruções da confecção da lanterninha.
3- Com o papel ainda dobrado ao meio e com as tirinhas cortadas, vá dobrando as pontas inferiores para cima.
4- Vire as pontas superiores para trás e cole, fazendo um rolinho. Essa é a base, que será colocada (de baixo para cima) dentro da lanterninha. Use um pouco de cola para fixá-la no local.
5- Está pronto!

Lanterninha:



1- Para fazer uma lanterna pequena, corte um retângulo de papel, de cerca de 18 x 10 cm. Se quiser uma lanterna um pouquinho maior, corte um retângulo de 21 x 15 cm. ou use a metade de uma folha de papel A4.
2- Dobre o papel ao meio. Com um lápis, faça uma linha paralalela a 1 cm. (ou 1,5 cm.) da margem superior.
3- Torne a dobrar o papel, no sentido horizontal.
4- Dobre novamente.
5- Dobre mais uma vez.
6- Desdobre o papel no sentido horizontal. Ele estará marcado por vincos com cerca de 2 cm. entre eles. Se deseja uma lanterna mais delicada, faça, com lápis, uma linha perpendicular entre cada um dos vincos.
7- Corte seguindo os vincos e as linhas verticais, tomando o cuidado de não ultrapassar a linha paralalela feita a 1 cm. da margem superior.8- Abra o papel totalmente. Agora cole as tiras da ponta uma sobre a outra. Se quiser dar um acabamento mais seguro, cole a tira inferior da lanterninha na parte inferior de um rolinho de papelão - pode ser a metade daquele rolinho que vem com o papel higiênico.
8a- Se pretende pendurar a lanterninha, antes de colar as tiras, marque na margem superior, um ponto que fique a cerca de 6 cm. da ponta esquerda e outro ponto que fique na mesma distância da ponta direita. Faça um furinho nesses locais onde, depois que a lanterna estiver colada, irá passar um barbante.
9- A sua lanterna está pronta!

Dobradura Flor


1 (1)- Corte o papel formando um quadrado e dobre na diagonal.

2 (1)- Dobre uma ponta do papel para a frente.

3 (1)- Dobre a outra ponta para a frente, também. Está pronta!

4 (1)- Para fazer o modelo 2, dobre a ponta de baixo para trás.Nota: Esta dobradura lembra a flor tulipa.

LEMBRANCINHAS




Tire fotos das crianças e cole no porta retrato.
Imprime o modelo do porta retrato e cole no E.V.A. ou em papel cartão.


TEATRO PARA O DIA DAS CRIANÇAS

Jesus, o menino que viveu uma grande aventura.

Personagens: Jesus adulto, Jesus menino; Maria; José; Isabel; Sacerdote 1; Sacerdote 2; Crianças (quantas quiserem ou puderem); Adultos - homens e mulheres (quantos puderem ou quiserem); Voz

CENA 1Jovem caracterizado de Jesus (adulto) entra no palco (altar) carregando uma bola e a camiseta ou a bandeira de um time de futebol. Chega mais para frente no altar ou palco e conversa com as crianças que estão assistindo:

Jesus adulto: Olá criançada! Tudo bem?Pois é, comigo também está tudo bem. Hoje é o Dia das Crianças, não é mesmo? Pois bem, hoje eu queria contar para vocês que eu também já fui criança, igualzinho a vocês. Gostei de brincar, e correr, e pular, como qualquer criança. Se eu tivesse nascido no Brasil, na época de vocês, talvez eu iria gostar de jogar bola! (Pode tentar chutar a bola, ou fazer embaixadinhas). Talvez eu fosse torcedor do time ...........(erguer a bandeira). Lá na minha terra, a Palestina, as crianças brincavam também, só que de outras coisas: de pique-esconde, de correr atrás do outro, de imitar o mestre, de faz de conta, de correr com os cachorros e as cabras, e de tantas outras coisas. Hoje vocês vão passar um dia especial comigo quando eu era menino e ver uma aventura que eu fiz quando meus pais foram para Jerusalém.(nesse momento, ouve-se a voz de Maria, ainda escondida, chamando):Maria: Jesus! Jesus!Jesus Adulto (Faz um sinal com o dedo na boca): Shh! Eu agora preciso sair!(e retira-se do palco. Maria aparece):
Maria: Jesus, meu filho! Vem para casa que já está na hora! (põe a mão sobre os olhos, procurando pelo filho)Jesus menino entra correndo na IgrejaJesus menino: Mãe! Mamãe! Eu tava brincando lá do lado do poço com a minha turma! (dá um abraço na mãe e os dois começam a conversar)Maria: É mesmo, meu filho? E do que vocês estavam brincando? Você está suado!!!Jesus: Ah, nós estávamos brincando de faz de conta. Eu era o profeta Daniel, o João era o Rei e a Ana, a Isabel, o Tiago e o Jeremias eram os leões. (fala com muito entusiasmo) Mamãe, o Jeremias fingiu tão bem que era um leão, que até eu fiquei com medo! Até as garras do leão ele fez colando espinhos nas mãos com cera de abelha! Foi um sucesso!!Maria: Puxa, filho, que brincadeira boa! Mas eu vi que o Barnabé e o André não estavam com vocês. Porquê? Jesus: Sabe, mãe, é aquele velho problema... O pai e a mãe deles não levam eles na Igreja. Dizem que eles ainda são muito novos. Então, o que acontece: eles não conhecem as histórias dos profetas, têm vergonha de brincar com a gente. Em lugar disso, ficam só espiando de longe, brincando de luta e de caçar passarinhos. Maria: Mas que coisa triste, filho. Eu acho que eles iriam gostar muito de participar da Igreja, não é mesmo? Jesus: Ah, mas com certeza, mamãe! E além disso, eles iriam aprender coisas boas, e não essas bobagens que eles fazem.Maria: Você sabe, filho, José e eu já pedimos tanto para os pais levarem o Barnabé e o André na Igreja. Mas eles sempre inventam alguma desculpa: ou ainda não terminaram o trabalho, ou estão muito cansados, ou vão receber uma visita, ou precisam preparar a comida... (olha com desânimo para o chão) E tudo isso são só desculpas. Se eles quisessem, poderiam levar os meninos na Igreja. Eu tenho muito medo de que eles ainda vão sofrer muito na vida por causa desses meninos. Afinal, se eles não estão aprendendo coisas boas, certamente estão aprendendo outras coisas, talvez não muito legais. Ontem mesmo nós conversamos com a mãe deles, e ela disse que a gente não tinha nada a ver com a vida deles, que cada um devia cuidar do seu nariz. José e eu quase choramos!Jesus: Mas em todo caso eu e minha turma não desistimos, mamãe. Nós estamos sempre convidando eles para brincar conosco, e dizendo para eles pedirem para os pais levarem eles na Igreja. Quem sabe um dia isso muda! (abraça a mãe mais uma vez e dá um beijo estalado, bem barulhento, em sua bochecha) Ah, mamãe, muito obrigado por me levar sempre na Igreja!Maria: Eu e José é que agradecemos todos os dias porque Deus nos deu de presente você e os seus irmãos e irmãs. Nós temos orgulho de ter uns filhos tão obedientes e educados! (Maria olha para o céu e percebe que o dia está passando) Nossa, filho, o tempo passou rápido! Já está na hora de sairmos para a nossa viagem a Jerusalém.Jesus: Jerusalém! Oba!!! Vamos poder ir de novo no Templo! Vamos logo mamãe, porque eu quero ajudar o papai a guiar os jumentos!(os dois saem do palco de mãos dadas, conversando animados sobre a viagem)

CENA 2Esta cena acontece no templo de Jerusalém. Ela inicia sem falas, apenas com fundo musical. O cenário é divido em três partes ou ambientes: em uma delas, os homens estão sentados, enquanto que um deles, o sacerdote está um pouco mais alto(pode ser num banquinho) com a Bíblia aberta e lê um trecho - tudo com mímica. Em outro ambiente estão as mulheres, ajoelhadas, orando. Num terceiro ambiente estão as crianças e um adulto com elas. Algumas podem estar desenhando, outras cantando. Todas as pessoas demonstram alegria de estar no Templo. Depois de algum tempo, os homens e mulheres vão levantando, encontrando-se uns com os outros, buscando as crianças e voltando para casa. Maria e José voltam com seus filhos e outros adultos e crianças. Jesus não está com eles. Vão caminhando bem devagar, conversando entre si, alegres, pelo corredor da Igreja. Maria e José começam a procurar por Jesus, sem o encontrarem. A música vai diminuindo aos poucos:
Maria: Isabel, minha prima, Jesus está com vocês? Isabel: Não, Maria. Nós o vimos pela última vez lá no Templo... Será que ele não está com os meninos do Ezequiel?Maria: Eu acabei de falar com eles. Jesus não está lá não! (põe a mão na cabeça, desesperada) Senhor, onde pode estar meu filho? E se ele estiver correndo perigo?José (chegando apressado): Maria, já passei em todas as famílias que estão viajando conosco e Jesus não está com nenhuma delas. Todos viram Jesus pela última vez no Templo.Maria: Mas então, José, vamos voltar e procurar nosso menino! José: Eu também pensei em fazer isso, Maria. Estou muito preocupado com Jesus! Vamos aproveitar e voltar logo para Jerusalém, antes que o nosso grupo viaje para mais longe, e nós fiquemos sozinhos para a viagem de volta! Eu já peguei água e um pedaço de pão para a viagem (mostra a bolsa que carrega consigo)Maria (voltando-se mais uma vez para Isabel): Isabel, você poderia cuidar de nossos outros filhos enquanto José e eu voltamos ao Templo?Isabel: Com certeza, Maria. Agora vão logo, que nós vamos acampar aqui para esperar vocês!José e Maria saem apressados para um lado, abraçados, enquanto que o seu grupo sai pela porta da Igreja.

CENA 3Esta cena se passa novamente no templo. Ao serem abertas as cortinas, vê-se Jesus sentado no chão, junto com outros homens, sacerdotes e professores. Todos estão com suas Bíblias abertas em Isaías 11. Um dos sacerdotes começa a ler:
Sacerdote 1: Vejam o que o profeta Isaías falou: "Virá um descendente do rei Davi, filho de Jessé, que será como um ramo que brota de um toco, como um broto que surge das raízes. O Espírito do Deus Eterno estará sobre ele e lhe dará sabedoria e conhecimento, capacidade e poder. Ele temerá ao Deus Eterno, e conhecerá a sua vontade". Sacerdote 2: Há muitos anos, todas as vezes que nós lemos este trecho, perguntamos qual será o rei que Deus irá enviar para nos ajudar. Este que agora nos governa nem é da casa de Davi. E também o nosso povo não possui mais exército, para este rei tomar o poder. O que vocês acham, amigos: de que aldeia deverá vir o nosso futuro rei?Jesus (Coloca-se em pé e fala): Peço licença aos senhores. Eu acho que vocês não deveriam esperar por um rei poderoso. Vejam que o texto do profeta fala que ele vai ter sabedoria e conhecimento, que vai ter muito respeito por Deus e que o Espírito Santo está com ele. (nesse momento José e Maria vão entrando e ouvindo em silêncio, mostrando admiração pelo conhecimento de Jesus) Mas o texto não fala se vai ser um rei. Talvez pode ser apenas um menino, um filho de carpinteiro...Sacerdote 1: Nossa, mas que menino inteligente!Sacerdote 2: Que idéia revolucionária. E como conhece bem a palavra de Deus!Jesus: Pois é, isto é porque desde pequenininho meus pais sempre me trouxeram para o Templo, e em casa me ensinaram as orações e os cantos do culto.Sacerdote 1: E como é seu nome, menino?Jesus: Meu nome é Jesus, e vim lá de Nazaré... (José interrompe)José: Jesus! Você ficou para trás e perdeu-se do nosso grupo. Nossa família já viajou um dia inteiro e sua mãe e eu voltamos para lhe procurar.Maria: Meu filho! Você me deu um susto tão grande!! Seu pai e eu ficamos desesperados, pensando que algum mal poderia ter acontecido com você! (Jesus sai da roda e abraça José e Maria):Jesus: Mamãe! Papai! Perdoem-me! Eu não quis preocupar vocês! Eu nem vi o tempo passar, e não percebi que vocês já haviam partido! Mas vocês sabem que quando estou na casa de meu Pai (mostra com gesto largo o Templo ao seu redor) eu esqueço de tudo, esqueço até de comer! Mais uma vez, perdoem-me!José: Tudo bem, meu garoto. Nós sabemos que você não fez por mal. Mas agora vamos embora, que o pessoal acampou só para nos esperar.Maria: É, e com certeza vão rir muito da nossa aventura. Mas por favor, não faça mais isso, que meu coração de mãe não vai agüentar!
Os três saem do altar rindo, felizes. Pode-se colocar uma música de fundo, que vai diminuindo de volume aos poucos enquanto uma voz fala. Durante esta fala, todos os atores e atrizes voltam para o altar e dão as aos. Quando termina a fala, curvam-se para agradecer à "platéia".
*Voz: "Jesus crescia no corpo e em sabedoria. Era um bom filho e um ótimo amigo. Tanto Deus como as pessoas gostavam cada vez mais dele."

DIA DAS CRIANÇAS






LEMBRANCINHAS PARA O DIA DAS CRIANÇAS

Sacolinha de E.V.A.



Material:

1 folha de e.v.a. azul, rosa, amarelo, cor de pele e marrom







terça-feira, 23 de setembro de 2008

Histórias Bíblicas Ilustrada com Objetos Comuns

O CORDEIRO QUE TIRA O PECADO

"Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo" (João 1:29).
Textos adicionais: Mateus 1:21; I Pedro 1:18, 19; I João 3:5.


Material Necessário
1 clipe pequeno
1 fio com 25 cm
1 sabonete branco
1 dúzia de botões (qualquer tamanho ou cor)
Etiquetas
1 colher
4 gotas de iodo
1 aquário ou jarra de vidro com 2/3 de água
Alvejante de roupas


Modo de Preparar
Pingue o iodo na água. Rotule os botões com etiquetas pequenas: livros, alimentos, remédios, roupas, dinheiro, amor, máquinas, conselhos, leis, etc. Coloque todos os botões em uma caixa pequena. Faça a escultura de uma ovelha no sabonete (cole a figura da ovelha no sabonete para servir como modelo). Enfie o clipe no dorso da ovelha e amarre o fio. Segurando pelo fio, mergulhe a ovelha no alvejante por alguns instantes e deixe-a secar sobre um prato. Mantenha-a no prato até que esteja seca e pronta para ser usada.
Na hora da lição, coloque o aquário ou jarra e a caixa com os botões sobre uma mesa baixa, diante das crianças, mas mantenha a ovelha escondida.
13 Histórias Objetivas para Evangelismo
Mensagem
Este vasilhame com água é o mundo. O pecado trouxe trevas ao mundo.
(Entregue um botão para cada criança.)
Iremos ver agora que botão conseguirá tirar as trevas (pecado) do mundo.
(Oriente as crianças a trazerem o botão que têm nas mãos, uma a uma, e o deixem cair dentro do vasilhame. Antes de deixá-lo cair, porém, cada uma deverá ler a etiqueta que o identifica, como sugestão para a cura das trevas do mundo. Agite a água com a colher depois que cada botão for colocado.)
Todas essas sugestões já foram testadas no mundo, mas as trevas causadas pelo pecado ainda permanecem. A Bíblia tem a resposta. (Segure o cordeiro esculpido no sabonete e leia João 1:29): "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." (Mergulhe na água a ovelha presa pelo fio. Agite cuidadosamente a água com o auxílio da colher, por alguns instantes, até que desapareçam as trevas.)
Os botões representam as boas sugestões para ajudar as pessoas em outras situações, mas Jesus, o Cordeiro de Deus, é o Único que tira o pecado do mundo.

REFLEXÃO
Nascemos em um mundo de pecado e sabemos o quanto somos pecadores, mas, por não fomos feitos como os robôs, temos a oportunidade de fazer escolhas.
Entregue o seu coração a Jesus, hoje e peça perdão a Ele. Ele está de braços abertos esperando por você.
Vocês gostariam de pedir perdão a Jesus? Quero ver as mãos daqueles que querem pedir perdão a Jesus!

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

A dinâmica de uma aula bíblica


O período da aula é dividido entre as atividades coletivas e as diversificadas. A palavra diversificada significa que durante esse período todas as crianças têm oportunidade de escolher a atividade que desejam participar. Devem ser oferecidas, no mínimo, duas atividades para que as crianças tenham opção. O número de atividades oferecidas depende do número de crianças no grupo, do número de auxiliares e do tamanho da sala. Ter mais de uma atividade vai permitir uma participação mais direta, porque o número de crianças em cada atividade será menor. Assim, a conversa espontânea é permitida e a troca de idéias é estimulada. O professor e o auxiliar, bem como as próprias crianças, terão mais oportunidade para se conhecerem.

As atividades coletivas são aquelas realizadas com o grupo todo reunido. O professor deve reunir todas as crianças, formando um círculo ou semicírculo para conversar com as crianças sobre o tema da aula.

Esta parte não é mais ou menos importante que as outras partes da aula. Nesse momento é importante conversar e fazer perguntas sobre o tema da aula, orar, contar história, ensinar o versículo, fazer uma brincadeira ou outra atividade que o professor achar por bem fazer para enriquecer as experiências de aprendizagem.

Como dose ser o momento em que as crianças estão juntas na roda?

A ordem desse momento com a turma varia de acordo com o tipo de atividade e o conteúdo, mas os elementos que devem estar presentes são:

Oração: Oração é comunhão, uma conversa com Deus. Os professores devem ensinar as crianças a orarem através do seu exemplo - orando sempre com um vocabulário simples, com frases curtas e de um modo objetivo. O momento da oração não deve ser usado para impor silêncio e nem para restaurar a ordem. É necessário preparar as crianças para o momento da oração.
Procure usar voluntários para orar. Evite obrigar uma criança a orar em voz alta e de também orar repetindo as palavras do professor. É melhor sugerir motivos para oração e deixar que a criança ore usando suas próprias palavras. A linguagem ou gramática da criança não deve ser corrigida durante a oração porque isto pode inibida. O professor deve explicar o porquê de fechar os olhos e curvar a cabeça e também dizer às crianças que a palavra "Amém" significa "Assim seja", assim a criança terá compreensão daquilo que está fazendo. A obra missionária sempre deverá ser incluída nas orações. O professor deve incentivar as crianças a orarem nominalmente pelos missionários.

Uso da Bíblia: A Bíblia precisa fazer parte de todos os trabalhos. Para cada aula deve haver um versículo bíblico em destaque. A criança precisa ser ensinada a amar e conhecer versículos bíblicos para que ela possa seguir os seus ensinamentos. Jesus disse: Antes bem-aventurados os que ouvem a Palavra de Deus, e a observam" (Lc 11.28). Para a criança obedecer, ela precisa entender. Por isso, não é adequado insistir na memorização sem compreensão. Durante este período do encontro, o professor deve programar atira idades interessantes que promovam o entendimento, a memorização e a aplicação da Bíblia na vida das crianças. Na escolha de um versículo para ser entendido, o professor deve aplicar o seguinte teste:

v A criança entende a linguagem?
v A mensagem pode ser interpretada à luz das experiências das crianças?
v A criança compreenderá o sentido do versículo? :
v Será facilmente memorizado?

O professor deve levar sua Bíblia para a sala e demonstrar que gosta dela. Ele deve incentivar as crianças a fazerem o mesmo e ajudá-las a procurarem o versículo dentro de suas próprias Bíblias.

Conversa: A comunicação entre o professor e a criança é fundamental. As crianças têm necessidade de serem ouvidas. Também precisam aprender a escutar os seus colegas. O professor deve permitir que as crianças falem e que também escutem atentamente os colegas durante a conversa. Durante estas conversas o professor pode descobrir o que as crianças estão sentindo, estão pensando, o que elas têm feito e o que têm acontecido em suas vidas. A conversa pode ser espontânea a fim de conhecer melhor as crianças. Também pode ser planejada para descobrir qual o conhecimento das crianças sobre 0 tema da aula e para compartilhar novos conhecimentos.

Momento Missionário: O propósito desta atividade é fazer com que a criança participe de projetos que ajudem os outros por amor a Jesus, contribuindo assim para sua educação missionária. Crianças que só ouvem falar das necessidades de outras pessoas, mas não têm oportunidade de fazer algo concreto para ajudar o próximo poderão transformar-se em adultos insensíveis. Há pequenas ações que a própria criança pode fazer, assim ela pode colocar em prática os conteúdos que estão sendo estudados e principalmente vivenciar o que diz em Tiago 2.17: "... a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma”.
Cada professor deve planejar uma atividade de acordo com as experiências das crianças de sua igreja. A atividade, seja fazer um cartão para enfermos, levantar uma oferta, visitar um asilo de idosos, arrecadar alimentos básicos para necessitados ou qualquer outra coisa precisa ser feita pelas crianças e não pelo professor. Quando a criança usa suas mãos e mente para fazer algo para alguém, ela aprende muito mais do que se tivesse comprado um presente ou apresentado algo feito pelo professor. A participação constante das crianças no Momento Missionário é tão importante quanto o benefício que o projeto pode prestar à pessoa ajudada.

Cânticos: O cântico é uma parte do encontro que contribui para o ensino da criança. Com os cânticos a criança expressa louvor a Deus. Os cânticos contribuem para criar um ambiente propício à oração e enriquecer o estudo do dia, além de proporcionarem um momento de relaxamento, uma vez que 0 conteúdo será trabalhado usando um outro tipo de linguagem, ou seja, a linguagem musical.
A parte dos cânticos deverá ser cuidadosamente preparada, utilizando-se músicas apropriadas para a faixa etária, as letras devem ter conceitos teológicos corretos e devem estar relacionadas com o tema da aula. Evite juntar todos os cânticos para um "período de louvor". Não se deve cantar mais do que dois ou três cânticos em seguida.Os cânticos devem ser usa dos como louvor a Deus e não para preencher o tempo.
Ao deixar uma criança escolher o cântico, o professor deve dar uma orientação. Por exemplo, o professor deve indicar que cantem uma música sobre o amor de Deus, caso seja esse o conteúdo do dia, ou então uma música que foi ensinada na semana anterior. Agindo assim, evita-se a sugestão de músicas inconvenientes.
Instrumentos (caseiros ou comprados) podem ser utilizados para acompanhar o caótico. O professor deve demonstrar como tocá-los antes de distribuí-los. Depois de tocar, é importante recolher os instrumentos e guardá-los.

Atividades variadas: Brincadeiras com objetivo, dramatizações espontâneas e jogos podem ser usados nesta hora. Essas atividades ajudam a criança mais tímida a participar do grupo e também contribuem para fixar o conteúdo que está sendo trabalhado no dia.

História: Cada aula deve ter uma história, pois é uma das estratégias mais eficazes e interessantes para a comunicação com as crianças. Ela faz com que a criança aprenda a lidar com seus sentimentos, e emoções e frustrações e assim vá entendendo o mundo em que vive. Uma boa história desperta interesse, inspira simpatia, produz um senso de realidade e influencia a conduta.

Na escolha das histórias observe cá seguintes critérios:

o Deve ser compreensível.
o Tem que ter uma mensagem clara e com teologia carreta.
o O enredo deve ser simples, atraente, com muita ação e com mínimo de detalhes.
o Deve estar relacionada ao objetivo da aula.
o Deve estimular a imaginação e curiosidade das crianças.
o Deve contribuir para que as crianças aprendam atitude, positivas.

No preparo da história observe cá pessoa a seguir

o Oração na hora da escolha e estudo.
o Leitura - Várias vezes e em voz alta. Se for uma história da Bíblia, leia a passagem na Bíblia. Não dependa só da revista!
o Estude bem a história para formar uma imagem mental dela e saber como pronunciar os nomes dos personagens, locais, etc.
o Faça um esboço da história para lembrar a ordem dos fatos.
o Evite decorar a história. É melhor usar suas próprias palavras para ser mais natural.
o Elimine todos os detalhes que são desnecessários.
o Viva a história - entendendo como as pessoas agem e por quê.Domine a história, ensaiando e treinando em frente ao espelho.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Festa do Pijama




Organize as professoras do departamento infantil, faça um levantamento de quantas crianças há na igreja, convide as crianças não salvas, para a noite do pijama.


Objetivo: é levar tanto as crianças salvas como as não salvas a um lazer de total alegria e aprendendo a conhecer a Deus.


Confeccionar: convites, cartaz, corinhos ilustrados e historias.


Na manha seguinte organizem um delicoso café da manhã, juntamente com os pais e toda igreja, envolvendo-os no grande culto domestico.